A chegada de Laíla à União da Ilha está mudando os rumos da escola. Antes com a marca da simpatia e da alegria, a agremiação almeja para 2020 incomodar as primeiras colocadas. Para isso o diretor de carnaval, que tem carta branca para tomar decisões, vem focando os ensaios de comunidade, que passou a ser às terças-feiras, na massificação do canto. A reportagem do CARNAVALESCO acompanhou o treino desta terça, e analisou os quesitos apresentados.

Harmonia

Laíla busca que os componentes cantem o samba com as divisões e notas corretas. Para isso faz um treino diferente. A bateria tem tamanho reduzido, e as primeiras passadas são cantadas apenas com acompanhamento de pedal. O diretor permanece o tempo todo dentro das alas cobrando o canto dos desfilantes. O resultado já pode ser percebido com um canto muito mais forte do que a Ilha costumava apresentar. Com o domínio da melodia, aí sim o carro de som passa a cantar no ritmo tradicional.

Evolução

A escola é colocada toda em um bloco só, virada para o palco dos cantores e a bateria. Além do canto, Laíla cobra organização das filas e pede aos componentes que evoluam com alegria e desenvoltura. Ao longo do ensaio os componentes treinam deslocamento e o tempo todo viram-se para o fundo e o início da quadra.

“Eu estou aqui para ganhar. Eu quero fazer da Ilha uma escola que volte a ser respeitada, coisa que se perdeu nos últimos anos. Sou oriundo de ala de compositores. Então eu procuro focar na técnica, preciso que o componente entenda que precisa cantar dentro da métrica com as divisões corretas. É por isso que não gosto de ensaio de rua. Na semana que vem vamos trazer o ensaio para quarta, junto com a bateria. Devo fazer na rua um em janeiro e um em fevereiro”, analisa Laíla.

Samba-Enredo

Apesar de não possuir as características históricas das composições da União da Ilha, o samba da agremiação está na boca do componente. A qualidade da obra aliada à presença de Ito Melodia faz o samba ter grande rendimento. O intérprete se coloca o tempo todo entre as alas incentivando o canto dos insulanos.

“Esse samba é maravilhoso e vocês que estão sempre em nossa quadra podem tirar a prova. Devemos tudo isso ao Laíla, que é um ícone do carnaval. Aprendemos muito com ele e precisamos aproveitar ele aqui para recolocar a União da Ilha em um lugar de destaque”, elogiou Ito Melodia.

Bateria

Diferente dos outros ensaios de comunidade ou de rua, na União da Ilha os ritmistas se apresentam em tamanho reduzido, apenas para dar referência ao canto da comunidade, sem paradinhas ou convenções, que são treinadas nos ensaios de bateria específicos de quarta-feira.

“É um pedido do Laíla que a gente venha em menor número apenas para dar uma sustentação ao canto da escola. Ele também solicitou que passássemos o andamento para 145 BPM (batidas por minuto) para tornar o canto mais confortável e assim contribuir para toda a escola”, explica o mestre Marcelo.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Phelipe Lemos e Dandara Ventapane fizeram uma rápida evolução no início do ensaio, o suficiente para confirmarem todo o entrosamento que possuem desde 2016, quando iniciaram a parceria. A dupla possui perícia e finalização de movimentos muito bem feitas e certamente garantirão altas notas à União da Ilha no desfile.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui