A Unidos de Padre Miguel, sexta escola a entrar na avenida, trouxe o enredo “Ginga”. Que apresentou a trajetória histórica da Capoeira, uma expressão cultural de matriz africana e patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO. Na ala 4, nomeada de cenas pitorescas, o objetivo era relembrar as atividades de ganho e a praticada capoeira entre os negros andarilhos e vendedores do século XIX. As fantasias foram inspiradas nas telas dos pintores Rugendas e Debret.

Apesar da predominância das cores vermelho e branco, a ala 4 tinha vários tipos de fantasia, uma fila de componentes usava calças e outra saia, alguns usavam chapéus na cabeça, e outros plantas, vasos, cestas de couve, etc.

Segundo Nana Costa, Diretora de ateliê, que tem 27 anos de Unidos de Padre Miguel, mais de 6 tipos de tecido foram usados nas fantasias da ala 4 como oxford, elastano, microfibra, sublimação. “Eu ajudei na escolha dos tecidos, e a fantasia está super leve e confortável”, garantiu.

Ricardo Ongaratto, que desfila pela primeira vez na escola mas coleciona desfiles em outras agremiações, contou que de todas as vezes que desfilou, essa foi a fantasia mais confortável que ele já usou.

“Ela está bem feita, bem elaborada e muita bonita. O fato do tecido não ser de plástico e sim calça de verdade é ótimo. Porque não estamos sentindo nem frio nem calor, achei fantástico”, contou o estreante.

Comentários