Por Guilherme Ayupp e Matheus Mattos

A X-9 Paulistana foi a terceira agremiação do Grupo Especial a gravar sua faixa para o CD do Carnaval de São Paulo de 2020. As variações de ritmo durante as bossas foram um dos grandes destaques da escola, ato proporcionado pelo enredo que homenageia batuques de todo território nacional. O coral da escola também se destacou, principalmente, pela energia proporcionada por todos os componentes.

Intérprete oficial e diretor de carnaval, Pê Santana esteve presente em cada processo de gravação. Cantou o samba e organizou o coral da agremiação. Em entrevista ao site CARNAVALESCO, o cantor relevou o motivo da escolha do andamento para a faixa.

“Na quadra a gente larga com 146 BPM (batidas por minuto), mas hoje abaixamos o andamento devido ao coral. Trazemos pessoas que não são cantores, na avenida tem o astral, dentro de uma gravação precisa de uma certa precisão. Colocamos 144 BPM que ficou legal pra todo mundo cantar, o tom também é bem confortável.

Caminhando para o ano de estreia como mestre único da Pulsação Nota Mil, Fábio Américo se mostrou seguro e ousado ao realizar as três bossas presentes. Fábio explicou o significado das bossas.

“A gente está tentando inovar, e também dar continuidade em algumas coisinhas. A gravação foi legal, escolhemos um andamento de 144. As bossas o samba pede, é uma grande homenagem ao povo de Parintins, a bateria homenageia a batucada”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui