Os presidentes das 13 escolas de samba do Grupo Especial e mais os dirigentes da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) estiveram reunidos no Palácio Guanabara, na tarde desta terça-feira, para conversarem sobre os preparativos para 2020 e como será feita o apoio estadual para a realização dos ensaios técnicos e os desfiles oficiais. O apoio será dado, como aconteceu em 2019, através das Leis de Incentivo, e caso seja obtido com as empresas o valor estipulado é de R$ 1,5 milhão para cada escola e mais R$ 1 milhão para a Associação das Escolas Mirins dividir entre as suas filiadas.

Apesar do interesse da gestão de Wilson Witzel em investir na maior manifestação popular do Brasil, a reunião não sacramentou ainda quais empresas vão custear o apoio. Os dirigentes foram recebidos pelo vice-governador Cláudio Castro. Durante a conversa, o político garantiu empenho para ajudar as escolas. Ele recebeu as escolas, pois o governador Wilson Witzel tirou alguns dias de recesso, retornando no próximo dia 15.

Buscando ajudar de forma efetiva o trabalho das escolas de samba, foi discutida a Lei de Incentivo Fiscal a ser aplicada por meio das arrecadações do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que auxiliará financeiramente as agremiações nas despesas.

“Temos total interesse em apoiar as escolas, conscientes dos benefícios que o Carnaval traz para a sociedade como um todo, sem abrir mão, obviamente, de seguir o Regime de Recuperação Fiscal. Deixamos aberto um canal de diálogo para construirmos juntos uma parceria que mantenha a excelência que nosso Carnaval, um dos pilares do Turismo no Rio de Janeiro, conquistou no mundo, salientou.

Com relação aos ensaios técnicos, a reportagem do CARNAVALESCO apurou que o tempo está cada vez mais curto para realização e início no dia 26 de janeiro, mas o governo estadual trabalha para que os treinos aconteçam na Marquês de Sapucaí. A Liesa já tem um calendário pronto e só depende da efetivação do apoio para divulgar e confirmar a realização do maior evento do verão do Rio de Janeiro. Na reunião desta terça-feira não houve nenhum avanço em relação ao status anterior. Além da verba pela Lei Rouanet, é preciso aguardar o parecer técnico das obras que estão sendo feitas no Sambódromo.

O ex-secretário de Cultura e agora subsecretário de Grandes Eventos, Ruan Lira, participou do encontro. Ele tem sido o elo entre o Palácio Guanabara e a Liesa. A partir de agora os dirigentes aguardam a marcação de uma nova reunião, dessa vez com o governador.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui