Compositores: Claudio Mattos, Rafael Zimmerman, Didi Tupinambá, Diego Gaúcho, Marco Moreno, Thiago Meiners e Jaiminho Harmonia (in memorian)
Intérpretes: Nêgo e Pitty di Menezes

Samba, meu samba é batuque, é encanto
O axé do sorriso ao pranto… É pé no chão
Ciranda de roda que traz a candeia
Na luz de Luanda clareia
As notas do meu violão
Que emociona a velha guarda ao sentir a poesia
Nos afagos da cabrocha feito disritmia
Enfrentei toda censura, não calei meus ideais
Fiz valer a voz dos meus ancestrais

Salve Zambi e Zumbi, a resistência da cor
É força pra persistir, negro tom de clamor
Benedito olhai, é reza, é canto da roça
Peço tua proteção
Lá pras bandas de Angola

Cirandeiro, cirandeiro… Me ensina a versar
“Parti do alto” do morro, vim chegando devagar
Cirandeiro, cirandeiro… Onde mora o menestrel?
No terreiro de Kizomba, nas calçadas de Noel

Se eu verso um samba pro meu povo emocionar… Ô iaiá ô iaiá
Menina moça e capoeira vão chorar… Ô iaiá ô iaiá

A poesia hoje faz o meu papel
Pra Renascer das Cinzas, Vila Isabel
Resgatar além da quarta-feira
Prazer, sou Martinho José Ferreira
Canta… Minha gente é de raiz e batucada
Sambar na avenida de azul e branco em noite estrelada (iáiá)
Até o sol dourado clarear

LALAIÁ LALALAIÁ
LALAIÁ LAIÁ

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.