Penúltima escola de samba do Grupo Especial a desfilar no sábado de carnaval, a Unidos de Vila Maria apresentou plástica diferenciada nas alegorias, fantasias grandiosas e bom relacionamento entre carro de som e bateria.

Mesmo como ponto positivo, alguns episódios de quedas de adereços nas fantasias de componentes foram notados.

Comissão de Frente

A primeira ala da escola apresentou um bom domínio técnico. Nomeado como: “Guardiões Da Tradição Chinesa”, os bailarinos evoluíam com um leque. Quando aberto, eles proporcionavam um efeito sonoro positivo e bem entrosados. O personagem principal, Rei Macaco, não economizou nas acrobacias e era o principal elemento para interagir com a plateia.

A comissão ainda contou com mais mulheres que representaram o espírito da cultura chinesa. Elas também trouxeram adereços nas mãos, e contribuíram para o bom desempenho.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Estreante como oficial, o casal Bruno Mathias e Tatiana dos Santos aliou o clássico com uma execução moderna, com cortejo mais acelerado em comparação aos demais casais. A porta-bandeira esbanjou simpatia e carisma durante trajeto.

A fantasia do casal também contribuiu pro desempenho da dupla. No caso, a vestimenta foi confeccionada com cores quentes. No caso da Tatiana, o vermelho, laranja e amarelo predominaram. No Bruno, o detalhe do adereço de cabeça chamou atenção, não só pelo tamanho, mas também pelo desenho e riqueza dos detalhes.

Harmonia

A escola apresentou uma harmonia satisfatória. Claro que, o volume do cantar não foi alto, mas isso não afeta o desempenho do quesito no julgamento. O trecho “Faz encantar” foi cantado com boa empolgação. A estrutura do samba é pra cima, e pedia um cantar mais forte em todo momento. Os dois primeiros setores apresentaram o cantar mais forte.

Enredo

A narrativa usada para contar o tema fugiu do padrão esperado de CEP. Além de evitar a abordagem clichê como cultura, culinária, fundação, entre outras, a Vila visou destacar os pontos na história do país que são importantes para a sociedade até hoje. Na avenida, a leitura foi facilitada ao sambista que tinha um conhecimento básico. A linha não seguiu uma ordem cronológica, o que também torna o enredo diferenciado.

Evolução

A escola apresentou um domínio bom do andar do componente, padrão mantido em todo desfile. O único ponto negativo ficou por conta da manobra de entrada da bateria no recuo. Antes da recomposição, a ala da frente voltou a andar e proporcionou um buraco. A recomposição foi rápida e não prejudicou o contexto.

Samba-Enredo

A obra da agremiação abordou o enredo de forma bastante descritiva. Pelo fato do enredo exaltar os grandes feitos, a melodia é toda pra cima e explosiva. O Wander Pires teve um aproveitamento que valorizou a qualidade da obra. Ele apresentou cacos melódicos, sustentação da afinação e melismas improvisados.

Fantasias

O desenho e proposta das fantasias da escola foi um ponto de destaque. A agremiação trouxe riqueza nos detalhes e adereços volumosos. O primeiro setor foi um dos que mais se destacaram na grandiosidade. Porém, algumas falhas do quesito foram notadas. Primeiro, um adereço de cabeça de um componente caiu logo quando as primeiras alas passavam ao recuo. O costeiro de um dos mestres-salas caiu durante o bailado, e pequenos detalhes em determinadas fantasias.

Alegorias

No contexto geral, a Vila Maria apresentou uma temática com traços mais modernos e fora do “padrão” de São Paulo.

A começar pelo abre-alas, “Com o Dragão Milenar, grandes Impérios se erguiam”, a alegoria trouxe muitos componentes e bem espalhados. O letreiro com o nome da agremiação veio na parte superior, um pouco acima da escultura de um Dragão. As coreografias nas laterais influenciaram também ao contexto.

A segunda alegoria, “A genialidade da mente brilhante e criativa do Chinês”, também atendeu as características de carros vazados. Eles trouxeram movimentações, tanto na grande cabeça retratando a mente brilhante, quanto nas engrenagens.
“Pátria da sabedoria” é o nome que batiza o terceiro carro alegórico, um grande elemento que predominou o branco. Destaque para o detalhe inferior com vários emblemas da Vila Maria em dourado.

Dentre as propostas, a quarta alegoria “Prédio de uma cidade inteligente” chamou atenção pela quantidade de telas em LED que transmitiam imagens originais do local, esculturas de robôs, pandas, além do tamanho.

A última alegoria “Monumento à união das etnias” encerrou com uma mensagem de união entre os dois países, Brasil e China. Uma parte da alegoria se abria, dentro brasileiros e chineses evoluíam abraçados.

Comentários