A Unidos de Vila Maria realizou na noite de sábado seu segundo ensaio técnico no Sambódromo do Anhembi. Se preparando para ser a quinta escola a se apresentar na primeira noite de desfiles do Grupo Especial, a “Vila Mais Famosa” mostrou boa melhora no conjunto de quesitos em relação ao treinamento anterior na Passarela do Samba. Com destaque para o entrosamento entre o time de canto, liderado por Wander Pires, e a bateria Cadência da Vila.

Harmonia cresceu com a presença de mais componentes

A escola trouxe mais componentes que há 3 semanas atrás, e essa força extra se encarregou de dar corpo ao canto da comunidade da Zona Norte que, com os devidos ajustes, promete fazer uma grande apresentação no desfile oficial.

Cesinha, que é um dos membros da direção de harmonia da Vila, fez uma análise do desempenho no segundo ensaio, além de apontamentos a serem ajustados. “Em comparação ao primeiro ensaio hoje tivemos uma pequena evolução, tanto no quesito Harmonia como no quesito Evolução. Precisamos ainda ter uma certa cautela na cabeça da escola, no espaçamento do Casal, da Comissão de Frente para que a gente não sofra nenhuma penalidade baseado no quesito Evolução. Há uma penalidade que tem no balizamento da Comissão de Frente que acaba acarretando no balizamento de Evolução”, disse.

Questionado se a comunidade captou a mensagem de união entre os povos que o enredo almeja transmitir, Cesinha mostrou otimismo. “Sim, captou. A gente está falando sempre da importância de cada cidadão, de cada ser humano, na construção de um mundo melhor. Isso está sendo mostrado tanto em nossos ensaios de quadra quanto nos ensaios de rua, e conseguimos mostrar hoje um pouco mais aqui no Sambódromo do Anhembi”, completou.

A presença em maior peso de desfilantes foi exaltada pelo diretor ao comentar sobre o que mais gostou neste ensaio. “A alegria vem bastante de alguns componentes que chegaram agora, opessoal que ficou um pouco afastado com a incerteza do carnaval, se vai ter ou não desfile. Então com a retomada de alguns desses componentes, eles puderam trazer para nós essa alegria, e falar ‘poxa, realmente essa comunidade está com a gente aqui’, e isso foi um dos pontos positivos. Além, é claro, da nossa Cadência da Vila que sempre dá um show à parte”, concluiu.

VEJA GALERIA DE FOTOS DO SEGUNDO ENSAIO DA VILA MARIA

Bateria colhe frutos de reinvenção com grande desempenho

Se depender da bateria Cadência da Vila, o ritmo da escola não será uma preocupação. Sob comando de Mestre Moleza, a Vila Maria procurou se reinventar ao longo da pandemia, com direito até a escolinha online com utensílios domésticos no lugar de instrumentos. Para alguns pode até ter soado estranho, mas o resultado desses esforços foi bastante positivo para o entrosamento dos ritmistas, na opinião de seu líder que mostrou fazer bom uso das ferramentas online que estão à disposição. “Esse ensaio foi muito melhor que o primeiro. Em termos técnicos para a bateria, a gente fez uma análise bem legal, com todos os materiais, os vídeos de vocês, dos colegas de vocês, todos os vídeos do YouTube da galera que vem prestigiar. A gente é muito crítico com nosso trabalho, sabemos que podemos melhorar, e até o último minuto estaremos trabalhando. Hoje foi nota 10, mas queremos tirar 11 no dia, então não vão faltar esforços, para fazermos esses últimos ensaios e fazer um grande carnaval, um grande trabalho, comemorando 10 anos sob minha gestão”, declarou o mestre.

Moleza aproveitou para explicar o que está sendo preparado pela bateria para o desfile, além de observar alguns ajustes que foram feitos para o segundo ensaio. “São cinco bossas planejadas, bem distribuídas durante todo o samba. É uma decisão até estratégica perante o regulamento que pede essa questão da performance, da criatividade, então dependendo do trecho do samba que a gente estiver passando pela cabine, temos um arranjo para poder soltar e conseguir esses dois décimos que necessitamos para a bateria tirar 10. Fizemos o ajuste em uma bossa, colocamos as frases solos do repique todos na cabeça do tempo, para evitar que um componente, por não ter uma noção de música, possa interpretar errado esse arranjo e cantar fora do compasso. É um pequeno ajuste que é imperceptível para alguns, mas para nós fez total diferença. Acredito que encaixou muito bem com a alegria e a confiança. Tinha muita gente debutando, a molecada da escolinha, então veio o primeiro ensaio, tirou o peso da estreia e hoje vocês puderam ver a galera toda feliz, mais descontraída e mais consciente do que tinha que fazer”, detalhou.

O mestre demonstrou estar muito orgulhoso de seus ritmistas, a alegria da comunidade foi o que ele mais gostou de ver neste ensaio. “O ponto alto é a alegria. Ver a alegria dos meus ritmistas, da criançada que toca aí, dos mais antigos que me receberam bem e até hoje estão correndo comigo. Isso não tem preço. A parte técnica a gente resolve lá, faz ensaio e tal. Mas essa parte da alegria, você vê que é espontânea, eu não posso cobrar alegria de um ritmista, a alegria vem através de um bom trabalho e quando eles ficam satisfeitos. Uma coisa é eu me iludir e dizer ‘o ensaio foi bom’, estou iludindo, mas quando eles estão felizes, aí é prova que realmente o ensaio foi muito bom”, finalizou.

Melhora importante no momento certo

A Vila Maria conseguiu corrigir diversos elementos irregulares em seu segundo ensaio técnico no Sambódromo. A Comissão de Frente manteve a expressividade de sua dança, que já havia agradado anteriormente, assim como o primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, que também fez uma apresentação positiva.

Tecnicamente falando, irretocável. A evolução fluiu sem percalços e permitiu aos componentes dançarem e cantarem. O canto, inclusive, melhorou consideravelmente, e isso é um ótimo sinal de que o samba pode funcionar muito bem no dia do desfile. A chegada de mais componentes ajudou a dar um ânimo importante, e fazendo os devidos ajustes podem ajudar a alcançar as notas que a escola deseja conquistar.

A Vila Mais Famosa marcou presença nos últimos dois desfiles das campeãs. Resultados esses que mostram que os grandes trabalhos dos anos 2000 estão sendo reconquistados. Em sua segunda passagem pelo Sambódromo do Anhembi nesta temporada de ensaios técnicos, a Vila mostrou que soube analisar suas falhas anteriores e que pode melhorar ainda mais na luta para colocar a primeira estrela em seu pavilhão tão tradicional. E se o mundo precisa de cada um de nós, a Vila Maria está muito bem encarregada de ser seu porta-voz.

Comentários