Atual campeã do Grupo Especial do Rio de Janeiro, a Unidos do Viradouro está disponibilizando as duas fantasias de alas destinadas à comercialização. Além da divulgação tradicionalmente feita através de fotos, a escola produziu vídeos estrelados por Tarcisio Zanon e Marcus Ferreira, autores do enredo “Não há tristeza que possa suportar tanta alegria”.

Fotos: Wagner Rodrigues/Divulgação

Marcus comenta que eles decidiram se transformar em “modelos” no material de divulgação porque vestir as fantasias já faz parte da rotina de ambos, e destacou outros motivos que os levaram a optar pela novidade.

“Eu e Tarcisio sempre vestimos os protótipos e fazemos, quando é preciso, ajustes na ergonomia. A Viradouro é uma escola passional, seu histórico de enredos é a prova disso. A ideia deste ensaio (fotográfico) é afagar um pouco a saudade de cada componente. Escolhemos fotografar e gravar o vídeo na Amaral Peixoto, no Centro de Niterói, porque a escola tem uma ligação histórica com a avenida, onde faz os ensaios de rua. O objetivo também foi renovar a esperança de dias melhores e vislumbrar o tão sonhado reencontro com a nossa comunidade”.

Tarcisio adianta alguns detalhes das fantasias que a Viradouro vai mostrar no desfile de domingo de carnaval.

“Mantivemos a pegada lúdica, que é uma das marcas de nosso trabalho. O jogo de cores está bem definido por setores. Demos novamente um olhar importante para o nosso almoxarifado. Muitas fantasias são feitas de materiais de carnavais passados, o que valoriza a mão de cada artesão do nosso barracão. Manteremos a leveza das peças e a sofisticação com que a Viradouro gosta de desfilar”.

Para contar o enredo que vai recordar o Carnaval de 1919, o primeiro após a pandemia da Gripe Espanhola, a vermelho e branco levará à Marquês de Sapucaí cerca de 3 mil componentes, divididos em 24 alas. As fotos das alas que estão à venda, com os contatos dos responsáveis pela comercialização, estão no site (unidosdoviradouro.com.br). A trilha sonora dos vídeos, que têm menos de 30 segundos de duração, é um trecho do samba-choro “E o mundo não se acabou”, composto em 1938 por Assis Valente e gravado por Carmen Miranda.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.