Como era esperado desde o pré-carnaval o primeiro dia de desfiles do Grupo Especial de 2020, no Sambódromo, registrou o protagonismo da atual campeã, Estação Primeira de Mangueira, e, da Viradouro, a atual vice-campeã de 2019. As duas escolas certamente vão brigar pelo título desse ano.

A primeira noite ficou marcada por muitos erros de evolução e técnicos das escolas de samba. Quem mais sofreu foi a União da Ilha. A escola terá sérias dificuldades na apuração de quarta-feira. A grata surpresa ficou por conta da abertura feita pela Estácio de Sá. A carnavalesca Rosa Magalhães fez um desfile para calar a boca de todos.

Com Renato e Marcia Lage no desenvolvimento do desfile, a Portela fez um desfile forte, aliando técnica, canto forte e uma evolução segura. É outra escola que conquistará uma ótima colocação.

Com um magnífico conjunto de alegorias o Paraíso do Tuiuti fez um desfile arrebatador no aspecto visual, mas pecou na sua evolução. O mesmo aconteceu com a Grande Rio. O buraco no início do desfile e outros problemas afastaram a escola de Caxias da briga pelo título.

Veja abaixo como foram os desfiles

ESTÁCIO DE SÁ – A carnavalesca Rosa Magalhães completou 50 carnavais e para coroar a data fez um desfile brilhante tirando leite de ‘pedra’ pela Estácio de Sá, na abertura do Grupo Especial. Se pensaram que a professora não ia dar conta de desenvolver mais este enredo se enganaram, ela deu uma verdadeira aula sobre a relação do homem com os minérios e os resultados que a falta de cuidado e a cobiça podem levar. Alegorias belíssimas e bem acabadas surpreenderam quem espera um desfile mediano. A Estácio fechou o desfile com 66 minutos e a carnavalesca disse não acreditar no rebaixamento. * LEIA AQUI A ANÁLISE COMPLETA DO DESFILE

VIRADOURO – Um banho de bom gosto. Essa frase pode definir com exatidão o que fez a Unidos da Viradouro em seu desfile no Grupo Especial neste domingo. Novamente, como a segunda a desfilar, tal qual em 2019, a agremiação deu um bico nas estatísticas (que colocam escolas com esse posicionamento de desfile em colocações ruins) e fez uma apresentação arrebatadora. O conjunto plástico criado por Tarcísio Zanon e Marcus Ferreira é seguramente um dos maiores já levados pela Viradouro em um desfile. * LEIA AQUI A ANÁLISE COMPLETA DO DESFILE

MANGUEIRA – Em uma apresentação tecnicamente perfeita, aliada com uma excelente plástica, a Mangueira se credenciou com uma das grandes favoritas ao título, no seu caso, ao bicampeonato. Terceira agremiação da primeira noite de desfiles do Grupo Especial, a Verde e Rosa encerrou sua passagem pela passarela do samba com 67 minutos. * LEIA AQUI A ANÁLISE COMPLETA DO DESFILE

TUIUTI – De volta ao Grupo Especial o carnavalesco João Vitor realizou um grande desfile no Paraíso do Tuiuti e se depender do seu trabalho estético a escola pode sonhar com uma vaga nas campeãs. Problemas de evolução, fazendo a escola correr para não estourar o tem máximo e algumas fantasias com difícil leitura podem atrapalhar a escola que passou com alegorias belíssimas. Mestre Ricardinho passou bem com as bossas bem encaixadas e realizadas. Foi um outro ponto positivo da escola. * LEIA AQUI A ANÁLISE COMPLETA DO DESFILE

GRANDE RIO – Os sambistas clamaram, a Grande Rio demorou, mas atendeu. A escola optou por resgatar o seu DNA de enredos mais culturais como nos seus primeiros anos. O desfile da agremiação na madrugada deste domingo de carnaval deixou bastante claro que a escolha foi acertada. Cantando com a alma, evoluindo como há anos não se via e com uma plástica de extremo bom gosto, mesmo com um enredo denso. * LEIA AQUI A ANÁLISE COMPLETA DO DESFILE

UNIÃO DA ILHA – Sexta escola a passar na avenida na primeira noite do Grupo Especial, a União da Ilha fez o pior desfile da noite errando feio na evolução. Abrindo um buraco imenso entre o setor 6 e o setor 10 atrapalhando todo o resto da escola, que teve diversos outros espaços abertos entre alas. Correndo muito a Ilha ainda assim estourou um minuto do tempo máximo e deve perder um décimo. Nas fantasias foram utilizados recursos próximos das roupas do dia a dia com pouquíssima carnavalização desta forma trazendo um desfile mais próximo do real. * LEIA AQUI A ANÁLISE COMPLETA DO DESFILE

PORTELA – O portelense é um dos sambistas que mais cobra de sua diretoria e do seu carnavalesco para estar bem vestido na avenida. Quando isso acontece a Portela tem uma outra cara na pista. Por esse aspecto a escola poderia até ser apontada como uma das melhores da primeira noite de apresentações do Grupo Especial, pois não deveu nada aos destaques da noite. Entretanto, dificilmente a escola levantará seu 23º campeonato em 2020, graças a um recorrente calcanhar de aquiles. * LEIA AQUI A ANÁLISE COMPLETA DO DESFILE

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui